Bizarro

11/09/2015 21:30

Tirar fotos demais pode prejudicar memória, diz estudo

O ato de fotografar divide a atenção, o que prejudicaria a memória 

Tentado a sacar o smartphone diante de um belo pôr do sol ou de um prato delicioso que acabou de chegar à mesa do restaurante?

É óbvio que queremos documentar nossas vidas e manter nossas lembranças acesas. Mas ante o uso generalizado de smartphones com câmeras fotográficas e de novos aparelhos como o Narrative Clip – capaz tirar fotos automaticamente a cada 30 segundos –, será que deveria haver um limite?

Uma pesquisa recente realizada pela psicóloga Linda Henkel, da Universidade Fairfield, nos Estados Unidos, indica que a resposta é "sim". O trabalho sugere que tirar fotos pode de fato prejudicar a capacidade de lembrar detalhes do acontecimento, apesar – e por causa do – esforço de fotografar sem parar.

Durante o estudo, realizado no ano passado, estudantes foram levados a uma visita guiada a um museu e incumbidos de fotografar certas obras de arte – enquanto outras deveriam ser apenas observadas.

No dia seguinte, quando testados, eles conseguiam lembrar menos detalhes dos objetos que tinham fotografado. É o que Henkel chama de "efeito prejudicial de tirar fotos".

Para psicólogos,a câmera passou a ser encarada como um 'drive externo' de nossas memórias 

 

"Estamos tratando a câmera como uma espécie de drive externo de nossa memória", afirma a psicóloga. "Temos a expectativa de que o aparelho vai se lembrar de coisas por nós e que assim não precisamos continuar a processar aquele objeto. Por isso não interagimos nem nos envolvemos com as coisas que nos ajudariam a lembrar dele."

Henkel reconhece, no entanto, que enquanto podemos atrapalhar nossa memória a curto prazo, ter posse dessas fotos pode nos ajudar a lembrar de eventos no futuro.

Mais interessante ainda é o fato de que o prejuízo para a memória diminuiu quando os estudantes tiveram que dar um zoom em algum aspecto particular do objeto. Isso sugere que o esforço e a concentração envolvidos na tarefa ajuda o processamento da memória. Ou ainda que temos uma tendência maior a externalizar nossa memória quando a câmera capta uma cena mais ampla.

"Isso faz sentido porque as pesquisas científicas mostram que a dispersão da atenção é o maior inimigo da memória", diz Henkel.

Ferramenta de comunicação

Retratos fazem parte da nossa rotina há séculos e praticamente todas as casas da Europa Ocidental e dos Estados Unidos já tinham câmeras décadas atrás. Mas a mudança do filme para a fotografia digital também alterou nossa motivação para tirar fotos e a maneira de usá-las.

Outros estudos confirmaram o que muitos de nós já suspeitávamos: que o papel fundamental da fotografia deixou de ser a comemoração de eventos especiais ou de momentos em família para ser uma maneira de nos comunicarmos com amigos, formar nossa própria identidade e alavancar as relações sociais.

Enquanto adultos mais velhos usam câmeras como ferramentas para a memória, as gerações mais jovens veem as fotos como um meio de comunicação.

"Muitas vezes as pessoas tiram fotos não para que elas sirvam como uma lembrança, mas para dizer como estão se sentindo no ‘aqui e agora’", afirma Henkel. "Um bom exemplo é o Snapchat, em que os usuários tiram fotos para se comunicar, mais do que para se lembrar de momentos."

Para especialistas, é melhor curtir o momento do que simplesmente registrá-lo

Vida ao vivo

Nossa capacidade de documentar chegou a um novo patamar com o advento da SenseCam, da Microsoft, uma câmera automática com uma grande angular que pode ser "vestida", e com o fato de haver cada vez mais pessoas fazendo "life logging", uma espécie de transmissão ao vivo de suas atividades.

Concebida como uma espécie de "caixa-preta" humana e lançada pela primeira vez em 2003, a SenseCam pode tirar fotos passivamente quando percebe que uma pessoa está diante da câmera ou quando há uma grande mudança na luz. Ela também pode ser programada para tirar fotos automaticamente a cada 30 segundos.

Evangelos Niforatos, pesquisador da Universidade da Suíça Italiana, estuda como as novas tecnologias podem afetar nossa habilidade de formar memórias. Ele tem ativamente realizado life-logging nos últimos três anos.

Apesar de pesquisas terem mostrado que esse tipo de atividade pode ser bastante benéfico para pessoas que sofrem de graves distúrbios de memória e precisam ver suas próprias fotos periodicamente, Niforatos acredita que o maior obstáculo do life-logging para usuários comuns é descobrir como usar todas as informações recolhidas.

"Quando há uma experiência importante para documentar, os aparelhos de life-logging são bastante úteis. Mas para o dia a dia, eles ainda deixam a desejar", afirma. "No entanto, estou otimista quanto à capacidade de fazê-los chegar o mais perto possível da memória em si – como uma prótese de memória que dá as pistas certas para ajudá-lo a se lembrar do que você quer."

Niforatos e seus colegas estão desenvolvendo um estudo que vai relacionar monitores de batimentos cardíacos como o Fitbit a câmeras automáticas, para ver se mudanças no ritmo do coração podem indicar os melhores momentos para começar a tirar fotos.

Lembrança seletiva

Câmeras digitais podem não se a única coisa que mudou nossa relação com a fotografia. Graças às redes sociais, também transformamos a maneira como lembramos das experiências recordadas.

"Nossa memória é reconstrutiva. É possível que estejamos reconstruindo nossas memórias para alinhá-las mais com as fotos que tiramos, ou com as fotos que os outros tiram e nos mostram", diz Kimberly Wade, professora de psicologia da Universidade de Warwick, que estuda falsas lembranças.

"Se alguém nos mostra uma foto que não tiramos de um evento onde estivemos, aquilo então se torna nossa lembrança", explica.

Lembrar coisas de um ponto de vista externo pode ter suas desvantagens. Pesquisas mostram que quando você se recorda de algo a partir da perspectiva de outra pessoa, tem menos conexão emocional com a lembrança.

Da mesma maneira, apesar de fazermos uma curadoria das nossas memórias ao editar as fotos que tiramos, isso não é algo ruim.

"Muitos especialistas em falsas lembranças diriam que a imprecisão é uma boa coisa, por vários motivos", diz Wade. "Se você muda sua posição política, por exemplo, pode voltar atrás e pensar que antes tinha ideias mais parecidas com as que tem hoje. Queremos acreditar que somos seres estáveis. Lembramos de nossos relacionamentos e de nós mesmos em uma luz mais favorável, mais parecida com o que queremos ser. Alguma distorção é positiva para nosso bem-estar."

Então, com que frequência devemos tirar fotos? A menos que você seja um profissional, Henkel sugere limitar a quantidade de cliques e ser mais seletivo, para ter mais benefícios e menos prejuízos.

"Se você está de férias em um lugar bonito, tire algumas fotos, guarde a câmera e aproveite", diz. "Depois, dê uma boa olhada nas imagens, organize-as, imprima-as e tome tempo para mostrá-las a outras pessoas ao vivo. São coisas como essas que ajudam a mantermos nossa memória viva."

Por Victor Simão - DA REDAÇÃO BBC BRASIL

—————

18/08/2015 23:59

Bizarro: Cantora se empolgou e mostrou o que não devia no Programa Eliana. Veja o vídeo!

A cantora Francis acabou mostrando sua parte íntima, ao levantar o vestido pra mostrar marca de "bronzeado", o programa é assistido por pessoas de todas as idades

No programa que foi ao ar no domingo (16/08/15), a apresentadora Eliana e toda a sua produção tiveram uma "surpresinha" no quadro Rola ou Enrola.Pois cantora não exitou em participar do programa sem sua veste de baixo (calcinha). Ela acabou causando o constrangimento da apresentadora, que tentou disfarçar.

Ao entrar um grupo de três cantoras e fazer a sua apresentação, Eliana foi "bater aquele papinho" com as artistas; uma delas a cantora Francis, mineira, foi ao programa sem calcinha. O personagem representado por ela é negra. A cantora é branca e ruiva, Eliana pensou que ela fosse realmente negra, a cantora não exitou em mostrar a parte da maquiagem que estava faltando, na região posterior da coxa. Ai aconteçeu o inesperado.... Ao levantar o vestido a cantora revelou que estava sem calcinha, mostrando assim sua parte íntima. Eliana ainda tentou disfarçar, mas já estava feito, o programa é gravado ao vivo e é assistido por pessoas de todas as idades, inclusive crianças.

Será se a eliana deveria ter chamado o Bombeiro?

IMAGEM DA INTERNET

O constrangimento foi evidente, por parte das pessoas que perceberam aquilo, a "vítima" como não percebeu continuou descontraida como estava desde o inicio. Nos bastidores a cantora ouviu várias reclamações e foi represada pelo ato. Como o programa é ao vivo o SBT não teve como consertar a gafe, e milhares de pessoas viram aquilo em rede nacional. A emissora teme sofrer ação na justiça pois o programa é, e sempre foi voltado para a Família.

Veja o Vídeo abaixo:

 

 

Por Victor Simão- DA REDAÇÃO SALGUEIRO NOTÍCIAS

 

—————

12/08/2015 22:46

"Cheio do mel": Homem rouba jumento pra fugir da Polícia


Foto; Reprodução

 Ítalo Mendes da Silva, 21 anos foi preso neste domingo (09) após ameaçar com uma faca e agredir pessoas no distrito de Boqueirão em Cajazeiras. O mesmo é acusado de fazer baderna em um estabelecimento local e de ameaçar as pessoas presentes.

Após fazer bagunça os presenres convidaram ele para se retirar do local, porém o mesmo não aceitou e após ameaçar as pessoas com uma faca, a polícia foi acionada e o acusado ao perceber a chegada dos agentes da lei furtou um jumento que se encontrava próximo de onde estava e iniciou sua fuga "alucinada". Mesmo no veículo em que estava ele conseguiu despistar a PM por um tempo mas o  jovem tentou sumir em uma mata, e foi pego pela Força Tática e conduzido até a Delegacia.

O veículo não foi apreendido e voltou a pastar na região onde foi deixado.

Por Victor Simão- REDAÇÃO SALGUEIRO NOTÍCIAS

 

—————

01/08/2015 20:45

Homem fica ferido após atirar em Tatu e a bala ricochetear

No Texas um homem se feriu após atirar  três vezes em tatu. Ele foi atendido no hospital com  um ferimento leve na mandíbula. Ao atirar pelo menos tês vezes no animal uma das balas desviou na "armadura" natural do bicho, fazendo ela voltar e atingir o rosto do rapaz.

O xerife do condado de Cass, Larry Rowe, disse a agência de notícias Reuters que o atirador abriu fogo nas primeiras horas de quinta-feira quando viu o tatu em sua propriedade. 

"Ele foi para fora, pegou seu revólver 38 e atirou três vezes no tatu", disse Rowe.

Esse não é o primeiro acidente desse tipo nos EUA, outros já aconteceram. O tatu morreu mas não foi localizado, ninguém sabe onde ele foi parar.

Em abril, um homem feriu sua sogra quando a bala ricocheteou no tatu, "atingiu uma cerca, passou pela porta de trás do trailer da sogra, por uma poltrona na qual ela estava sentada e parou nas suas costas", noticiou a TV local WALB News.

Por Victor Simão-REDAÇÃO SALGUEIRO NOTÍCIAS

 

—————

28/07/2015 01:00

São José do Belmonte-PE: Bizarro! Carro sai da garagem sozinho e pega fogo no meio da rua

Os moradores da comunidade da Cacimba Nova, Rua Gertrudes Eponina de Carvalho ficaram assustados na tarde de hoje (27/05/15), pois o carro da família que mora no Nº 55 saiu da garagem sozinho, estacionou do outro lado da rua e começou a pegar fogo. Acha que é mentira? Vejamos.

O carro da família, um Fiat Uno placas KKE-5236, que estava parado na garagem da residência, começou a pegar fogo ainda dentro da casa sem motivo algum, saiu de Ré, estacionou do outro lado da rua e lá o fogo consumiu todo o veículo.

Os proprietários que ainda tentaram apagar o fogo que consumia o seu meio de locomoção dizem que um curto circuito pode ter causado o incidente.

 

A família diz que o carro pode ter dado a partida sozinho, opós um curto circuito, porém não se sabe como o carro saiu perfeitamente da garagem com a marcha Ré engatada. Os donos do carro ficaram impressionados como o carro saiu da garagem, pois, segundo eles para colocar o carro na vaga era preciso fazer algumas manobras. Com informações Belmonte Diário.

Por Victor Simão- REDAÇÃO SALGUEIRO NOTÍCIAS

—————

26/07/2015 18:08

Família come ratos para matar a fome na Paraíba

Na pequena cidade de Alagoa Grande (na região do Brejo, a 148 km de João Pessoa) no interior da Paraíba uma família come ratos para "enganar" o estômago. A família passa por um momento de dificuldades, poís o genitor de sete filhos acabou tirando sua própria vida por estar devendo um cesta básica de R$150,00 ao dono de um mercadinho.

                                                                                                               Foto: Reprodução

Assim ficando apenas a genitora e os SETE filhos. Como não podem comprar a mistura (Carne, ovo) as crianças vão à uma lagoa que fica perto do local onde residem, segundo eles lá se encontra um ninho dos roedores (ratos). Os mesmos são mortos a pauladas ou baleadeira (instrumento de caça rústico onde se utiliza um 'graveto' em forma de Y e um elástico), após a caça os garotos levam os animais abatidos para o fogão à lenha da casa, onde queimam os pelos e depois retiram todos os orgãos internos, para assim poderem preparar para o consumo.

Além de comerem ratos a família vive em condições precárias. Casa de taipa (baredes de barro), o piso é de terra, o interior da residência é muito escuro, sem devidas instalações elétricas dentre outros problemas. Roupas são guardadas em baldes e em uma velha estante.

Com a reportagem feita por uma rede de TV a família começou a receber doações de várias pessoas, inclusive de outros estados. Viajantes que passam pelo local e que já sabem da história sempre deixam algum mantimento pra família. Confira o vídeo abaixo:

 

 

Por Victor Simão- REDAÇÃO SALGUEIRO NOTÍCIAS

—————

21/07/2015 14:08

Mina de Urânio desativada causa "doença" estranha em habitantes de vilarejo

Desde 2012 um mistério rondava o vilarejo de Kalachi, no Cazaquistão: Moradores adquiriram uma doença incomum com sintomas estranhos. Os moradores infectados se assim podemos chamar, ficam com muito sono e passavam a dormir por até 6(seis) dias seguidos. E ao acordarem tinham muitas alucinações e um desejo sexual que chega a durar um mês. 

   Reprodução/Daily Mail(Reprodução/Daily Mail)

Ciêntistas e pesquisadores intrigados com o caso resolveram investigar o que estava causando essa epidemia. O caso que durou 3(três) anos agora foi resolvido, os pesquisadores descobriram que uma mina de Urânio desativada é a "culpada" de tudo.

 A mina que data da época onde o país ainda fazia parte da União Soviética. Desde 2012 ela tem “bombardeado” altos índices de monóxido de carbono para a superfície e contaminando a região e atingindo os moradores da pequena cidadela.

“A causa dessa doença bizarra foi determinada. Despedi vários testes médicos, nossos pesquisadores confirmaram que o monóxido de carbono é o culpado pela ‘epidemia de sono’ em Kalachi. Quando os níveis de monóxido subiram na mina desativada, os níveis de oxigênio baixaram drasticamente na aldeia”, afirma Berdybek Saparbayev, vice-presidente do Cazaquistão.

Com a descoberta a cidade teve de ser evacuada, e os moradores tem de deixar suas casas para não serem mais uma vítima da estranha "doença" causada pela antiga mina de Urânio. Os moradores receberão ajuda de custos do governo para poder se cituarem em outro local. Toda a região que rodeia a mina ficará vazia. Com informações do YAHOO NOTÍCIAS.

Por Victor Simão- Redação Salgueiro Notícias

 

—————

21/06/2015 16:25

Yulin: o polêmico festival chinês em que se comem 10 mil cachorros

Ocorre neste final de semana, em Yulin, na China, um polêmico festival em que mais de 10 mil cachorros serão mortos para virar comida.

Credito: ReutersCães sendo vendidos em mercado local.

O evento foi condenado por organizações protetoras de animais e está mobilizando milhares de internautas que pedem o cancelamento da celebração.

Cerca de um milhão de pessoas assinaram um abaixo-assinado no site Change.org pedindo que o festival fosse cancelado. A hashtag #stopyulin2015 (parem Yulin 2015) circulou com força nas redes sociais.

Mas isso não impediu que a festividade tivesse início neste sábado. Restou aos ativistas ações individuais: segundo a agência de notícias AFP, uma chinesa de 65 anos gastou US$ 1.000 para comprar cem cachorros e impedir que eles fossem mortos para o festival.

O Festival de Carne de Cachorro de Yulin é uma popular celebração que vem dos anos 90 e tem como objetivo comemorar o solstício de verão - dia mais longo do ano - com o consumo de milhares destes animais.

Os ativistas que se opõem ao festival dizem que ele "traz como consequência o aumento dos roubos de cães de rua e domésticos" e denunciam as péssimas condições dos canis onde se criam cachorros para que sejam sacrificados para o festival.

Além disso, destacam que o consumo de carne de cão pode não ser bom para a saúde - algo do qual os praticantes discordam, já que atribuem efeitos benéficos à ingestão de carne de cachorro.

Matar cachorros por sua carne é algo cruel e além disso é um risco para quem a ingere, já que muitos dos animais caçados podem estar doentes", disse ao jornal Global Times Zhou Yusong, da Associação de Proteção de Pequenos Cães da China (CSAPA, na sigla em inglês), uma das organizações que lideram os protestos.

Respeito às tradições

Comer carne de cachorro não é ilegal na China, mas não existe consenso sobre o quão tradicional é esta prática.

Nas redes sociais chinesas, muitos usuários demonstraram preocupação pelo bem-estar dos animais consumidos em Yulin, enquanto outros disseram que é preciso respeitar as tradições da província de Guangxi.

Esses últimos acusam as organizações ocidentais que se opõem ao festival de hiprocrisia, destacando que para alguns chineses o consumo de carne de cachorro é tão comum quanto o consumo de carne de vaca em muitos países.

"O consumo de carne de cachoro na China aumentou nos últimos 30 anos, à medida em que o país enriqueceu, mas não é fácil encontrar esse tipo de carne", disse à BBC Sam Geall, editor do blog de meio ambiente China Dialogue.

"Viajo pela China há 15 anos e nunca me ofereceram carne de cachorro", diz ele, acrescentando que, às vezes, festivais como o de Yulin são celebrados para atrair turistas, e não tanto por seu caráter tradicional.

nullMulher comendo carne de cachorro.

Nas últimas semanas, organizações como a CSAPA organizaram vigílias noturnas em cidades do norte do país como Pequim para pedir a proibição do festival.

Mas nada impediu que a festividade tivesse início ontem.

A prefeitura da cidade, de acordo com a agência de notícias AFP, tentou se distanciar do evento.

"Alguns moradores de Yulin têm o hábito de se reunir para comer lichia e carne de cachorro durante o solstício de verão. É um termo comercial, mas a cidade nunca organizou (oficialmente) um 'festival de carne de cachorro", disse o governo local no Sina Weibo, uma espécie de Twitter chinês.

BBC BRASIL

—————

13/06/2015 16:04

Homem se entrega a polícia após matar amigo imaginário

Geoff Gaylord, supostamente teria afirmado ter matado o amigo, mas para a surpresa dos policias era um amigo imaginário.  


Um homem supostamente se entregou à polícia após afirmar que assassinou seu amigo. Só que o inesperado foi quando ele afirmou que teria assassinado o amigo imaginário.  Geoff Gaylord, de 37 anos de idade, que vive em Jacksonville, Estados Unidos, tinha pedido a pena de morte por cortar com uma faca o seu amigo, chamado por ele de Sr. Feliz.

Ele aparentemente disse também que enterrou o corpo da “vítima” no quintal de sua casa.
Mas, claro, a história bizarra era tão real quando seu amigo imaginário. O suposto incidente acabou se tornando assunto nas mídias britânicas, mas não se sabe a veracidade de todas as informações.

Apesar de ter pedido para ser condenado, tendo chegado mesmo a ameaçar e a agredir os polícias por não o levarem a sério. Enquanto ficou detido a polícia fez uma busca à casa do suposto suspeito.

A polícia, no entanto, não encontrou o cadáver do amigo imaginário, apenas “uma parafernália de drogas” e uma metralhadora. Ainda segundo informações do relatório da polícia de Jacksonville descreve que o autor da confissão como “completamente embriagado”.


S1 NOTÍCIAS

—————

04/06/2015 00:45

Salgueiro-PE: Em motel, mulher aplica o golpe “boa noite cinderela”


motelvcsb

Na noite do ultimo Sábado, por volta das 22h30min. Policiais Militares do 8º BPM foram solicitados por funcionários do motel vc sabe, para averiguar um furto. No local foram informados que a imputada: Marizete Eugênio de Souza, 59 anos, tentou sair das dependências do estabelecimento com a carteira, contendo todos os documentos pessoais e a quantia de R$ 219, 00 de R.F.L.  A vítima se encontrava desacordado no quarto, pois a imputada utilizando-se do medicamento clonazepam aplicou o golpe “boa noite cinderela”. 

SERTÃO CENTRAL

—————



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!