AS AUTORIDADES DIZEM QUE O CO-PILOTO DERRUBOU O AVIÃO, QUE CAIU NESSA TERÇA-FEIRA COM 150 PASSAGEIROS A BORDO

26/03/2015 11:46

A Promotoria de Marselha afirmou que o co-piloto alemão do voo da Germanwings que caiu nos Alpes franceses se trancou na cabine do voo e voluntariamente fez o avião perder altitude até bater em uma rocha e se chocar contra uma montanha.

Segundo o promotor Brice Robin, as gravações de uma das caixas-pretas do voo revelaram que em determinado momento do voo o piloto deixou o cockpit do avião para ir ao banheiro. Naquele momento, o co-piloto, de nacionalidade alemã, se trancou sozinho na cabine de comando.

Ele então alterou o sistema de orientação do avião para iniciar a descida. O piloto bateu na porta da cabine para voltar, mas o co-piloto permaneceu em silêncio.

“Eu penso que voluntariamente ele se recusou a abrir a porta e apertou o botão para o avião descer”, disse Robin.

O promotor disse acreditar que o co-piloto, identificado como Andreas Lubitz, cometeu suicídio.

O Airbus 320, que fazia o voo entre Barcelona e Duesseldorf, atingiu uma montanha na terça-feira após cair por 8 minutos. Todos os 150 passageiros e tripulantes morreram.

Gravações

Segundo Robin, as gravações das comunicações dentro da cabine de comando registradas na caixa-preta mostram que o piloto e seu co-piloto conversaram de forma normal no início do voo.

Depois que o avião atingiu a altura e a velocidade estabelecidas para a rota, o piloto revisou em voz alta os procedimentos de aproximação e pouso em Duesseldorf.

As gravações indicam que o co-piloto respondeu aos questionamentos do comandante de forma “lacônica”, segundo Robin.

Segundo ele, foi possível então ouvir o barulho da cadeira no momento em que o piloto se levantou para sair da cabine de comando e ir ao banheiro. Quando ele voltou e pediu para entrar a porta não foi aberta.

Depois que a aeronave começou a descer em alta velocidade, as gravações registraram o barulho do piloto batendo na porta da cabine com mais força e pedindo que a porta fosse aberta.

Os registros indicam que aparentemente Lubitz não respondeu aos chamados, ficando em silêncio absoluto.

As gravações registraram em seguida membros do controle aéreo e pilotos de outros aviões fazendo contato pelo rádio – sem receber resposta.

O som registrado mostrou então que o piloto tentou arrombar a porta – sem sucesso pois o cockpit tem mecanismos para evitar invasões.

Em seguida, foi possível ouvir gritos de passageiros e o barulho dos alarmes do avião indicando a aproximação do solo.

Os investigadores conseguiram ouvir a respiração do co-piloto até o momento do impacto – o que indica que ele estava vivo e consciente.

Robin disse que ainda não se sabe o que motivou as atitudes do co-piloto. Até o momento ele era descrito como “normal”.

Fonte: BBC Brasil

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!