Pastor evangélico é acusado por perseguição religiosa na PB

11/05/2015 18:27

O pastor Clóvis Bernardo foi denunciando pelo MPF na Paraíba, ele foi acusado de quebrar imagens em um terreiro de umbanda. 

Pastor quebrando imagens afro-brasileiras – Reprodução

pastor evangélico Clóvis Bernardo de Lima, quebrou imagens e objetos de entidades sagradas para religiões de matriz africana ele foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) na última sexta-feira (8 de maio de 2015); o caso ocorreu em 2012, na Paraíba. Na época, o homem fotografou as imagens quebradas e publicou o ato em seu perfil numa rede social.

https://www.s1noticias.com/wp-content/uploads/2015/05/pastor-evang%C3%A9lico-persegui%C3%A7%C3%A3o-religiosa-1.jpg

Lima reconheceu que tinha quebrado as imagens, mas foi, segundo ele, com o propósito de “acomodá-las melhor”. As imagens tinham sido de um terreiro de umbanda. Disse que sua intenção era mostrar as fotos somente aos membros de sua igreja, a Assembléia de Deus Pentecostal da Fé, por intermédio de seu perfil no Orkut, mas elas acabaram vazando para outras redes sociais.

A reclusão do pastor pode ser de 1 a 3 anos de prisão – Reprodução

ara o Ministério Público, houve violação da garantia dada pelo artigo 5º e inciso VI da Constituição à liberdade de consciência e de crença. O MPF pediu à Justiça que condene o pastor à reclusão de 1 a 3 anos, além de multa, de acordo com artigo 20 da lei 7.716/89. Esse artigo prevê punição para quem praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

S1 NOTÍCIAS

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!