“Faceirinho” com melhor ataque, Tite espera findar série defensiva do Inter

15/09/2015 23:22

Tite sorriu ao ser chamado de “estatístico” por seu crescente apego aos números e citou outros adjetivos que o acompanharam na carreira. O técnico do Corinthians recordou um deles, dos tempos de Caxias, que gostaria de ouvir novamente pelo bom momento ofensivo alvinegro.

“Faceiro, faceirinho. Ganhamos de 3 a 0 com o Caxias, falaram que era uma equipe faceirinha. Com o Inter, fizemos 7 a 0 no primeiro tempo, falaram: ‘Joga muito faceiro’. Com o Grêmio, fizemos 3 a 1 no Corinthians: ‘Joga muito alegre’”, disse, afetando um largo sorriso.

Não foi “faceiro” o adjetivo mais usado para qualificar Tite ao longo dos anos. Mesmo com sua equipe tendo assumido o posto de ataque mais positivo do Campeonato Brasileiro, ele se vê obrigado com frequência a rebater os comentários de que adota um estilo pragmático e defensivo.

"Empatite" não é a palavra de que Tite mais gosta (foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)“Empatite” não é a palavra de que Tite mais gosta (foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

“Falaram que era faceiro porque fazia muito gol. Depois, retranqueiro. Depois, que não batia título”, afirmou o gaúcho, habituado também à palavra “empatite”. “Já estou calejado para o que vier. Está tudo no conjunto, no todo da minha carreira. Tudo o que vem faz parte.”

Tite espera que a noite de quarta-feira, em Porto Alegre, faça voltar à tona o velho adjetivo. Será necessário que Malcom, Vagner Love e seus companheiros estejam faceirinhos diante do Internacional, que não sofreu gol em nenhuma das últimas seis partidas disputadas no Beira-Rio.

Por Victor Simão - DA REDAÇÃO GAZETA ESPORTIVA

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!